Erro Médico: Sensacionalismo ou Realidade?

8
2028

A população brasileira talvez não esteja tão por dentro deste contexto gravíssimo, por isso se crê fielmente na palavra do médico

A capa da Revista Superinteressante de Julho/18 aborda um assunto bem conhecido entre nós Brasileiros e profissionais da saúde: ERRO MÉDICO.

Vocês já ouviram aquele famoso ditado: DEUS NO CÉU E O MÉDICO NA TERRA? Pois é, enaltecem tanto os médicos que acabam esquecendo dos erros abusivos e que custam vidas de inocentes.

Os erros médicos sempre estiveram aí, na nossa frente, sempre foram muitos e com vítimas das mais diversas gravidades.

Antigamente, a população semelhavam Deus ao médico porque não tinha tanto conhecimento que temos hoje.

Os recursos eram escassos, o conhecimento crescente e os médicos prepotentes sem a humildade de assumir que não eram conhecedores de determinada doença, e digo mais, não eram conhecedores da cura.

Portanto, deixavam o paciente e seus familiares confiantes em uma medicina cega e sem ciência alguma.

Hoje, a nota do CFM em resposta a revista SUPERINTERESSANTE, diz:

“O Conselho Federal de Medicina (CFM) lamenta, publicamente, o tom alarmista adotado pela reportagem “Erro médico”, publicada na edição 391 da Revista Superinteressante. Trata-se de tema que deve ser analisado com cautela, considerando-se as deficiências de infraestrutura na assistência no País, em especial na rede pública, e no campo da formação de profissionais da área, médicos e não-médicos. No entanto, comete-se equívoco ao tratar casos específicos como se fossem a regra, o que gera impacto negativo na relação médico-paciente, a qual deve ser pautada pela ética, confiança e respeito à autonomia.”

Deficiências de infraestrutura junto a assistência do País? Como assim? Quando ouvimos isso já pensamos no SUS, não é mesmo? Afinal, o governo é responsável pela qualidade do SUS.

Mas e os hospitais particulares? O que pensaremos sobre? Estes, também tem deficiência? Mas qual o motivo? Falta de recursos financeiros? Má utilização dos recursos? Desvios? São inúmeras as perguntas que nós brasileiros e profissionais da saúde possuímos, mas todas elas sem respostas.

Logo nas primeiras linhas da reportagem da revista, há um dado interessante. Em 2015 provavelmente 434 mil brasileiros tenham morrido devido aos erros no atendimento médico, e em outra pesquisa o número diminuiu, cerca de 104 mil mortes anuais.

Mas querem saber da maior? Essa pesquisa foi apenas em HOSPITAIS PARTICULARES, ou seja, se formos levantar a estatística de tudo, o número seria absurdamente maior.

Tanto na rede pública, quanto na rede privada há sim erros médicos, então sinto muito, mas acreditar na desculpa informada por uma nota do CFM de que tal situação acontece por puro e simplesmente má estrutura dos hospitais, é achar que somos ingênuos, e isso não somos!

Convenhamos, se o médico está mal preparado porque ele está atuando? Talvez esteja perdendo o interesse em salvar vidas, que na verdade deveria ser prioridade para estes profissionais, para se ocupar em fazer outras funções que ORIGINALMENTE não cabem a eles, no caso a ESTÉTICA.

 

Sabemos que a na área estética, o atendimento do médico não é exclusivo e único, e sim por diversos profissionais da saúde bem qualificado e habilitado para prestar tal atendimento.

Os médicos que perdem seu tempo discutindo e debatendo em redes sociais sobre a atuação dos profissionais da saúde na área estética, ou se dão ao luxo de pegar seu veículo e dirigir cerca de 500km apenas para denunciar um biomédico esteta por exercício ilegal da profissão médico, sendo totalmente incoerentes com as leis vigentes e que permitem ao biomédico tal atuação.

Cadê a preocupação em salvar vidas? A função do médico não seria essa? Concluímos que, há muito tempo já perdemos o bom médico no nosso país, porque desviam de suas funções insistindo em promover reserva de mercado em uma área de livre apropriação, que é a Estética.

Estética é auto-estima, qualidade de vida, ausência de doença, é atuar com o paciente saudável e a OMS incentiva que seja praticada por todos os profissionais da saúde.

Me pergunto, onde estão os médicos que fazem medicina por amor, que olha para o paciente como um SER HUMANO, um próximo, e de alguma maneira tenta ajudá-lo com seu conhecimento em medicina? Onde encontram-se os médicos que ao ouvir o choro de uma criança, sabem do real motivo daquele choro? Está escasso!

Está cada dia mais difícil achar médicos competentes e não os que visam apenas um jaleco bonito com o DR. na frente da vestimenta, que visam um receituário bonito com sua assinatura e carimbo.

Tem que ter AMOR pelo o que está exercendo, tem que ter conhecimento, feeling, ouvidos, paciência e muita dedicação, mas não é isso que está acontecendo não é mesmo?

Quero deixar claro que não tenho nada contra o médico que deseja atuar na Estética, tenho uma grande apreciação pelos médicos envolvidos com seu paciente, independente da área, tenho inclusive parentes médicos, alunos médicos, amigos médicos e por inúmeras as vezes, discutimos positivamente sobre esse assunto.

CFM declara falta de estrutura em redes públicas

Voltando ao caso da nota do CFM, agora a culpa é da formação? Do número de escolas? Não é apenas isso! Na verdade isso é uma questão de ética.

Onde está a cobrança do conselho de medicina sobre estes profissionais? Onde está o cumprimento do código de ética médica na sua superexposição, pela mercantilização da saúde, pela incompetência, imprudência e negligência médica?

Por difamarem outros profissionais da saúde? Onde estão as punições e instaurações de processos éticos contra os inúmeros médicos que não cumprem com o seu juramente médico? Será que isso também de responsabilidade das faculdades? Me pergunto, onde estão os fiscais para fiscalizar estes profissionais?

O que acontece quando um erro médico é descoberto?

Quando um médico erra, sabemos que ele é punido apenas com uma MULTA ADMINISTRATIVA, mas é essa a punição necessária para quem está tirando vidas de inocentes? A medicina é um procedimento meio e não procedimento fim, portanto tudo pode acontecer, e neste caso o paciente é submetido a sorte do dia ou a estatística da vez.

Se há má formação dos profissionais médico, não se deve a abertura de mais escolas, mas sim ao próprio estudante, o quanto ELE quer ser médico, carregar seu jaleco com responsabilidade e dedicação.

Afinal, são todos muito bem “respeitados”, inclusive dentro da área da saúde a palavra MÉDICO mesmo errada está acima da palavra BIOMÉDICO quando correta, não é mesmo? E assim também para os demais profissionais da saúde. Os enfermeiros sabem muito bem disso, farmacêuticos e nutricionistas idem, além dos demais profissionais da saúde.

ERROS MÉDICOS e suas sequelas em pessoas inocentes

Em 1968, minha irmã nasceu com uma deficiência, graças a um erro médico. Certo do tempo de gravidez da minha mãe, ele a mandou para casa quando já apresentava dores. Sabe aquele sexto sentido de mãe?

Pois é, já era a terceira gestação dela e ela sabia bem o que estava passando e sabia ainda que estava na semana de parir a criança. Mas o médico, certo de suas “contas” ignorou a palavra de uma mãe experiente, e mandou-a embora simplesmente porque a bolsa não havia rompido e não tinha dilatação.

Contudo, duas semanas se passaram, ela com dores e muito mal, voltou às pressas para o hospital com sua barriga toda do lado direito, sem mais movimentação do bebê, chorando e desesperada.

O médico não viu outra forma a não ser em conduzir o parto, mas dessa vez com fórceps, pois a criança não mais reagia. Foi triste, muito triste, diz minha mãe que contou para nós quando éramos pequenas, o motivo da irmã mais velha ser tão diferente de nós, não falar, não andar direito, não ter raciocínio e nem mesmo ser uma criança como éramos.

Sabe o que houve? Faltou oxigênio para a criança, pois a hora do parte se estendeu, semanas passaram e o bebe entrou em sofrimento.

Ou seja, um erro que mudou o rumo da vida de uma criança, de uma família, e que o médico diz ter disso problemas genéticos, que era um defeito que minha mãe transmitiu para a criança, dá para acreditar nisso? Um horror! Minha mãe passou anos acreditando em uma mentira.

Após gastar muitos recursos financeiros com isso, mesmo sendo de uma família pobre, simples, ela trabalhou para levar minha irmã nos melhores especialistas do Brasil para ficar sabendo que se ela nascesse exatamente 2 semanas antes, seria uma criança normal, sem limitações.

Hoje, ela tem 50 anos e vive como um bebê, precisando de cuidados especiais. Meus pais viveram uma vida ao redor dela, e hoje são idosos, preocupados com a idade avançada e os cuidados que minha irmã precisa até hoje! Essa menina teve sua vida mudada por nascer duas semanas após a sua hora, tudo isso graças a mais um ERRO MÉDICO.

CFM acusa ERRO MÉDICO por má formação dos profissionais médicos

Então, agora querem jogar a culpa no sistema? À má formação??? E há 50 anos atrás qual foi o problema? E assim caminha a humanidade, não é mesmo? Onde vamos parar?

Há médicos bons ainda, sim há sim, e erros podem acontecer afinal somos humanos, tão humanos à ponto de ver um outro ser humano errando com um outro humano e dizer que não pode ajudá-lo?

Que não pode dar um laudo para ajudar o paciente prejudicado, pois isso vai contra o profissional medico, colega de profissão? Pois é isso que acontece na classe médica, uma proteção entre eles, deve ser o código de ética, nunca prejudicar um colega, mesmo ele errando!!!

Será mesmo essa a ética que precisamos ter no BRASIL, em nossa saúde brasileira??? Um profissional médico que vê nitidamente que o colega errou e encobre? Será que não deveria ser o contrário?

Dever ser ético denunciar os maus profissionais e livrar a população das garras de um médico mal formado, mal preparado e capaz de mudar o rumo de vidas??
Ainda quando fala da formação médica, deveria estar melhor que antigamente, não é mesmo? Afinal, hoje com tantos recursos para formar o médico, tecnologias, que muitas faculdades usam, deveria deixar o profissional mais preparado e não apenas se achando preparado e capaz.

Já vi erros acontecerem nos hospitais e que nada foi feito, a família acredita na palavra do médico e ai? Dizer que a matéria foi injusta é piada não acha? Injusta de qual ponto de vista? Do ponto de vista médico? Do ponto de vista do paciente? Ou do Ponto de vista HUMANO?

Realmente, o médico também é humano e não está livre dos erros, sabemos disso e evidentemente a maioria da população tem consciência de que eles podem sim errar, mas cometer um erro e esconder, não assumir ou atribuir o erro ao paciente leigo e indefeso é crueldade do meu ponto de vista.

Nada justifica uma atitude tão miserável e imoral. Isso é antiético e repulsivo pela população mundial.

Não são deuses, são apenas pessoas que precisam olhar para o paciente e ver que ali existe uma pessoa confiante em seu atendimento, colocar o ego de lado e agir com humildade, saber ouvir o paciente, conhecer suas dores, conhecer suas reclamações e fazer o possível para ajuda-lo sem ferir a ética da profissão e dos seres humanos. Pois a vida é uma só.

Tive diversos erros em minha família, perdi dois irmãos por erro médico, ao nascimento, a terceira teve comprometimentos cerebrais por nascer de mais de nove meses, minha avó morreu fazendo uma sangria em um hospital particular, eu perdi um ovário aos 18 anos por que a medica optou em me operar de um cisto hemorrágico intacto sem rompimento e não optou pelo tratamento com a pílula.

Enfim, outros erros houveram e sequelas ficaram, vidas mudaram, e eu sendo hoje uma biomédica, entendendo um pouco da área. Pasmem, eu tenho mais medo de hospital do que voar de avião.

Passo mal até não poder mais antes de pisar em um hospital, DEUS nos proteja sempre.

8 COMENTÁRIOS

  1. Uau… excelente texto!
    Conheço mts erros médicos também e lamento que para eles, o mais importante seja o lado financeiro… brigam com os demais profissionais da área estética por domínio de mercado e se esquecem que o juramento da profissão falava em cuidar e zelar pela saúde.
    Que Deus nos proteja… 🙏

    • verdade.. Hellen,

      precisamos sempre ficar atentos e rezar muito né? Acredito que medicina com responsabilidade está sim cada vez mais difícil, temos que estar sempre alerta, atentos e confiantes em DEUS. Obrigada por participar do Blog.

  2. Alguém tinha q se posicionar… Excelente Ana Carolina! Faça uma enquete rápida entre os Enfermeiros que cursam sua pós graduação e terá uma noção boa do que é erro médico…. Sempre digo q médico pode matar alguém q sempre tem uma desculpa esfarrapada pra te jogar guela abaixo… Assim caminha a saúde no Brasil, sob a dominância de médicos mal formados como eles mesmos admitem.

  3. O texto esta muito bom, so disse verdades!!! Agradeço pelo posicionamento e coragem de enfrentar esse grande mal que e o endeusamento de uma classe decadente de moral, carater e que perdeu a sua principal motivaçao que seria salvar vidas. Por mais pessoas que deixem a hipocrisia de lado e tenham mais coragem de rasgar o véu da tolerancia com essa classe de Incompetente que deveriam se Preocupar mais em salvar vidas e menos com quem trabalha de forma digna. Parabéns!

    • Obrigada Robson,

      bem, cada dia me lembro de uma situação negativa na relação medico-paciente, ainda mais nós que somos da área da saúde, conhecemos os bastidores dos hospitais, clinicas e realmente, é algo de ficar assustado. Por isso quando eu encontro um Medico que vive a medicina, quer ajudar as pessoas, quer saber o que o paciente realmente tem independente da HORA, do LOCAL, das CONDIÇÕES FINANCEIRAS do paciente, então, quando me deparo com um assim… MÉDICO mesmo eu chamo de DOUTOR com todo o meu respeito.

      Esta matéria é para aqueles que realmente não….fazem medicina, que vivem a mentira da medicina, então… vamos seguir em nosso propósito que para mim é principalmente alertar aqueles que desconhecem totalmente desta realidade.

      Agradeço a participação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.